quinta-feira, 1 de abril de 2010

A falsa mentira

O sono tardava em aparecer, as horas iam passando e as deslocações, quarto-cozinha, cozinha-quarto começavam a tornar-se repetitivas.
Quando dou por mim, já a lua ia bem alta.. “Já não me vou deitar, se não mais logo já sei como é.”

Continuo a navegar pela net, um link “puxa” outro e de repente toca o despertador. Ligo o telemóvel e tenho uma mensagem do Ricardo: “Put preciso de descansar, logo vamos amanha. Abraço”

Como também é bom passar um tempo sozinho junto ao mar, arrumei o material e fiz-me ao caminho.
Cheguei ainda de noite. Com a mudança da hora e alguns dias sem acordar cedo, perdi a noção da hora a que o dia começava a clarear, no entanto, a lua, que já começava a baixar, ainda iluminava a praia.

A leve brisa norte que se fazia sentir e a ausência de ondulação completavam o que parecia uma paisagem algo paradisíaca. Monto o material e começam os lançamentos, uso várias amostras com vários tipos de recuperação, nada.

O dia começava agora a clarear, desloco-me na direcção das pedras, vou até a sua extremidade, sempre a insistir.

Era inútil, já havia usado todas as amostras da caixa e o sol já se elevava á algum tempo, não havia peixe ali.

Já quase a dar por terminada a sessão, recordo uma dica sobre umas zagaias. Por acaso não tenho nenhuma, mas comprara á tempos uma colher baratinha numa dessas grandes superfícies para experimentar, que por acaso ia na bolsinha pequena da mala.

Monto-a e faço um lançamento, sai disparada e perco-a de vista no horizonte, deixo afunda-la e começo a trabalha-la junto ao fundo.

Os lançamentos sucedem-se e passado algum tempo, com o sono a começar a aparecer e sem saber já o que andava ali a fazer, quase a tirar a colher de dentro de água vejo um dorso negro a vir disparado do fundo.

Não chegara a tempo, e tão rápido apareceu como desapareceu.

Desperto! Rapidamente faço um lançamento curto, dou uns toques de ponteira e ai está a cana vergada e o stradic a cantar..




NBS Master Class 3.00 / Stradic 3000 / Colher (nem sei a marca)

70cm / 3.800kg

Este é dedicado á “Tejo´s Team”

Um abraço

3 comentários:

  1. Amigo Artur,
    Quem insiste às vezes é recompensado. Belo peixe!

    Abraço e saudações piscatórias

    ResponderEliminar
  2. Boas Artur,

    bom relato, e aí esta o resultado da acção que deve ser mais praticada no Spinning....
    A INSISTENCIA... hehehehe....

    Abr e continua assim Spinnmaster ;)

    At: www.spinnmaster.blogspot.com

    ResponderEliminar